A importância da manutenção preventiva na gestão de frota

  Como sabemos boa parte do custo de uma frota esta composta pela manutenção preventiva, más é ela que evitará que os veículos quebrem e prejudiquem a receita da empresa.

  Agora vem a pergunta. Será que os gestores fazem a manutenção preventiva da forma correta?

  A seguir vamos comentar em alguns tópicos sobre está manutenção que é o principal cuidado para que os veículos da frota estejam  sempre em boas condições gerando lucro para a organização.

Óleo de motor

  Este item é muito importante para vida longa do motor.

  Por este motivo é importante utilizar o óleo lubrificante recomendado pelo fabricante o qual foi desenvolvido pela montadora e fabricante de lubrificantes atendendo as especificações do motor.

  Os motores atuais são de alta performance onde utilizam cada vez mais lubrificantes  mais finos e com maior viscosidade e óleo lubrificantes 100% sintéticos.

  O lubrificante sintético em situações aonde o motor este frio ele chega rapidamente as partes superiores do motor reduzindo o desgaste das peças e nos momentos de regime de trabalho onde o motor está mais quente o mesmo atende as especificações do motor.

  Em média 70% do desgaste do motor ocorrem na primeira partida e primeiros minutos de funcionamento do motor. Então é de suma importância utilizar óleo lubrificante de boa qualidade e especificado pela montadora do veiculo.

Tenho uma frota de grande porte, posso utilizar um óleo lubrificante mais barato para reduzir custos?

  Esta é uma visão traiçoeira que muitos gestores possuem, no inicio vai ocorrer uma redução de custos significativa, porém no futuro vão ser colhidos frutos amargos e podres, pois certamente muitos motores vão apresentar defeitos e muitas vezes com valor altíssimos para ser consertados, ou seja, o que foi economizado enganosamente lá atrás será gasto muitas vezes a mais hoje.

  Como mencionamos anteriormente o recomendado é utilizar o lubrificante indicado pela montadora do veiculo, pois este foi desenvolvido para atender as especificações do motor.

  A utilização de lubrificante não indicado pela montadora ou de baixa qualidade fora das especificações, podem gerar alguns problemas graves entre ele a carbonização interna do motor com formação de borra na parte interna do motor ocasionando o desgaste precoce das peças internas.

Posso completar / misturar óleo sintético com semissintético ou mineral?

  Jamais cometa este erro, ele pode custar muito caro. Este erro é cometido constantemente em muitos veículos, é uma das principais causas de avaria nos motores atuais.

  O resultado deste erro, são motores carbonizados internamente, na maioria das vezes obstrui o pescador da bomba de óleo comprometendo todo sistema de lubrificação, levando o motor a travar e fundir.

  O custo para este tipo de reparo o qual na maioria das vezes tem que ser a retifica completa do motor fica em torno de R$ 4.000,00 a R$ 5.200,00 dependendo da gravidade.

  Então vale a pena investir em lubrificantes de alta qualidade, pois ele não é custo e sim beneficio, pois a frota estará sempre com os motores em ordem gerando lucro para empresa.

 Sempre que for necessário completar o óleo do motor, utilizar o mesmo lubrificante que o motor esta utilizando nunca misturar lubrificantes com classificações diferentes.

mistura de oleo motor diferentes tipos

Motor carbonizado por utilização de lubrificantes não especificados pela montadora, misturas de lubrificantes com classificações diferentes

Qual a forma correta de cuidar do motor?

  A seguir algumas dicas simples, porém eficaz que podem evitar problemas futuros.

– utilizar o óleo lubrificante recomendado pelo fabricante;

– verificar uma vez por semana o nível de óleo do motor, caso haja necessidade de completar adicionar lubrificante da mesma especificação o qual o motor esta utilizando;

observação: os motores atuais consomem óleo lubrificante para lubrificar as camisas, logo o mesmo tende a diminuir o nível de óleo de motor, por isso muito atenção com a verificação do nível de óleo do cárter do motor;

– outro ponto importante é sempre fazer uma pré-inspeção a fim de verificar possíveis vazamentos de óleo no motor, caso encontre alguma anomalia encaminhar o veiculo a uma oficina credenciada para fazer os devidos reparos;

– montar o plano de manutenção preventiva de acordo com o regime de trabalho que o veiculo é submetido e com as orientações da montadora do veiculo;

Observação: vale ressaltar que o hodometro do veículo só registro no momento que o veiculo esta rodando, quando parado em transito nas pistas o motor continua funcionando, porém o hodometro não marca por isso a atenção redobrada para o tempo de parada para a manutenção preventiva do veiculo, abaixo modelos utilizados atualmente;

– em regime de trabalho normal (operação leve) a revisão preventiva pode der realizada entre 7.000 km a 10.000 km no máximo;

– em regime de operação de severa trocar óleo de motor e filtro de óleo a cada 5.000 km.

motor utilizando óleo correto

Motor que segue as recomendações da montadora com utilização de lubrificantes corretos.

Filtros

  Geralmente os filtros de ar, combustível e cabine devem ser trocados a cada 10.000 km, filtro de óleo deve ser trocado juntamente com o óleo de motor.

Sistema de arrefecimento

  Verificar o nível do reservatório do sistema de arrefecimento uma vez por semana, caso esteja baixo completar com aditivo na proporção recomendada pela montadora.

  Nunca completar o nível com água de torneira, pois a mesma contém cloro e pode com o tempo danificar as peças do sistema de arrefecimento.

  Sempre fazer uma inspeção visual a fim de verificar possíveis vazamentos nas mangueiras e periféricos do motor, caso encontre alguma anormalidade enviar o veiculo a oficina para fazer os devidos reparos.

Velas de ignição

  É aconselhável verificar as velas de ignição preventivamente a cada 10.000 km, pois os veículos que rodam com etanol tendem a sofrer desgaste mais precoce devido à agua presente no combustível.

Correias de transmissão

  Substituir sempre com base na recomendação do fabricante.

  Caso apresente algum ruído ou outras anormalidades, enviar o veiculo a oficina para sanar os defeitos.

Bicos injetores e tbi

  A média para limpeza de bicos da linha leve varia entre 20.000 km a 30.000 km dependendo das condições que o veiculo trabalha e tipo de combustível mais utilizado.

  A limpeza de tbi tem que ser verificada a cada 10.000 km nas revisões preventivas, sempre que for constatada a necessidade de limpeza realizar a mesma.

Serviços

Visite nossa pagina

Clique Aqui

Consultoria

Conheça a nossa consultoria especializada na gestão de frota de veículos.

Veja mais

Fale Conosco

Vamos falar de soluções para sua gestão de frota?

Contato
Aguino Almeida
Últimos posts por Aguino Almeida (exibir todos)